Enquanto a coluna Cidadão Marx se dedica a filmes de longa metragem, ela vai ganhar duas outras sub-colunas. Na Cidadão Marx EXTRA, eu vou sempre lidar com séries de TV e animes, enquanto na EXPRESS eu vou estar comentando as notícias e os filmes que ainda estão por vir.

Foi os Vingadores. Foi o Batman. Foi Homens de Preto 3. Foi até Anjos da Lei (melhor comédia do ano e ponto). Mas o ano de 2012 já acabou no cinema? Não. Ainda vão rolar grandes obras no cinema. E eu vou fazer um mini-guia do que EU estou esperando.

Cloud Atlas é um livro do caramba. Sério. Não to brincando. É, provavelmente o próximo livro a ser colocado do lado de Ensaio Sobre a Cegueira e Cem Anos de Solidão, como obras máximas de autores que ganharam o Nobel de Literatura sem serem chatos de se ler. Pra isso, David Mitchell, o autor, tem que ganhar o Nobel, mas ele vai ganhar, pode acreditar.

E vão fazer um filme sobre o livro. É. Acompanha aí:

E não é um filme qualquer. É uma obra que vai juntar os Irmãos Wachowski (aqueles de Matrix) com Tom Tykwer (do fodástico Corra, Lola, Corra). A história não é exatamente simples: São 6 histórias, que, pelo menos no livro, são contadas formando um sanduíche.

Tudo começa em 1850 com um americano escrevendo cartas de um navio, enquanto uma doença o deixa incerto sobre se ele irá, ou não, voltar a ver sua amada. Então, a história é cortada no meio do caminho.

Continua com o auxiliar inglês de um grande compositor belga, que também escreve cartas para seu amigo. Ele encontra as cartas do personagem anterior. Então, a história também é cortada no meio.

Uma jornalista investiga casos de corrupção numa usina nuclear em 1975, e conhece o amigo que recebia as cartas na história anterior. Essa história também é parada no meio.

Um editor especialista em publicar obras em que é pago pelo próprio autor (que quer ver sua obra publicada) foge dos irmãos gangsters de um de seus clientes, enquanto recebe a história anterior na forma de um texto para livro, que ele acredita se uma ficção. E a história também vai só até a metade.

Uma clone que trabalha de garçonete numa rede de fast food no futuro se envolve com rebeldes para enfrentar um governo totalitário, e encontra a história anterior na forma de uma dramatização em filme. Essa história também é dividida no meio.

Então, em um futuro distópico, um membro de uma tribo enfrenta o violento mundo pós-apocalipse ao lado de uma mulher da ultima civilização tecnológica do mundo, e encontra a história anterior na forma de hologramas. Essa história vai até o fim, e então, temos o fim das outras histórias, dessa vez em ordem reversa.

Genial, para dizer o mínimo, como o fato de que todos os protagonistas de cada história encontram a primeira metade das histórias no começo da sua própria e o fim da mesma apenas em sua metade, que é precedida pela metade final da história encontrada. Se eles passarem isso pro cinema, é pra quem eu vou torcer pro Oscar. Além disso, a história é muito bonita, com romance, ação, questionamento filosófico, tudo que faz um grande livro ou filme.

Seu navio naufragou, e você só escapou porque entrou num bote com um tigre, um orangotango e mais uma badalhoca de animais, a maioria perigosos. Agora, você tem que sobreviver a eles, ao mar, a falta de alimento, tudo sem perder a sanidade. E a maneira mais fácil pra isso é fazer amizade com os benditos animais. Parece bobo? Não se você ler o livro. Sim, esse filme também é uma adaptação de livro. E vai ser muito boa. Eu não li o livro original, mas já li elogios do tipo “um livro que muda sua concepção sobre a vida”. Legal né? Só pelo trailer eu não vejo a hora de assistir. AH, é do Ang Lee, aquele maluco que fez o primeiro Hulk, que eu não gostei, mas respeito o cara.

E por fim, o filme do ano. Sério, se eu precisar apresentar o Peter Jackson pra você e o que ele fez com a trilogia O Senhor dos Anéis, você não merece viver, quem dirá ver um filme. Agora, ele resolveu que O Hobbit, introdução do Tolkien ao universo da Terra Média, que era um livro só, pequeninho, que você consegue ler em, digamos, um dia, conseguia virar uma trilogia também. Como? Ele fuçou nos apêndices da trilogia mais famosa, encontrou milhões de coisas que aconteciam mais ou menos ao mesmo tempo que a aventura rápida de Bilbo Bolseiro, e pronto, história pra 3 filmes. Vai ser legal, isso eu tenho certeza. Só espero que seja AINDA mais legal que os filmes originais, que renderam até Oscar. Tem mais anões agora, então isso não é difícil.

Enfim, no próximo Express eu não vou comentar filmes que serão lançados, e sim notícias, então vai ser mais rápido, menorzinho, mais gostoso de ler. Até lá.

Anúncios