O que é um sonho para você?Costuma tê-los? Lembra deles? Leva a sério ou acha que são apenas travessuras da sua mente ?

Poderia fazer aqui um apanhado de significados e teorias. Desde a religião a psicologia. Mas se você for ao menos infimamente como minha pessoa, vai preferir encontrar novidades e não mais do mesmo.

A única coisa que lhes peço quando lerem os textos dessa coluna: desprendam-se. Permitam-se libertar suas mentes de tudo que lhes foi ensinado durante suas vidas e lhe engessaram. Assuma que nada é impossível, e sempre diante de uma situação incomum pergunte-se ‘Por que não?’

Ele não sabia ao certo porquê o levaram até lá, mas estava gostando da paisagem.  Uma enorme floresta, composta principalmente por árvores de copas mais fluidas. As folhas de todas elas eram de um aspecto jovial e um verde reluzente como se houvessem acabado de brotar. Esta, localizava-se ao pé de um monte, que só se fazia notar pela inclinação no caminho. Até mesmo seu cume estava camuflado pela mais abundante forma de vida naquele lugar.

Chegaram então a base da estação de observação. Uma torre metálica , nos seus 30 metros de altura. No topo uma plataforma com paredes de vidro de onde se podia observar aquele ‘mar’  e também as extremidades das torres de alta tensão cuidadosamente colocadas por toda a extensão da floresta. Era realmente impressionante como elas se encaixavam e se complementavam. Não atrapalhavam a continuidade do ciclo da vida ali. Apenas estavam de prontidão.

Maravilhado com todo aquele frescor , nem ao menos notou a até então ausência de animais por ali. Talvez não todos , mas alguns certamente notariam essa peculiaridade enquanto percorriam o caminho até a plataforma de observação. É natural se esperar que uma área tão grandiosa como aquela  haveria de se ter outros ilustres moradores.

Talvez ele tenha até se questionado sobre. Mas o susto que aquela criatura causou ao pousar brusca e hostilmente no teto da plataforma, não  deixou expor sua observação aos demais que ali estavam.

Não conseguia ver exatamente o que era, mas percebia ser um tipo de ave gigante  e muito irritada. Começara a encravar repetidamente seu bico, no telhado criando alguns sulcos pelos quais entrava o pouco de sol que restava daquela tarde. Buracos de tamanho suficiente para que uma criança de 6 anos passasse tranquilamente por eles.

O metal da cobertura mais parecia uma simples latinha de alumínio para a tal criatura.  Logo ele percebeu pelos poucos vultos que conseguia enxergar pelos buracos, que a visitante tinha uma plumagem que variava entre o vermelho, o alaranjado e o ocre.

Percebendo que logo não teria onde se esconder, e que logo a ave chegaria a parte de dentro da plataforma, decidiu que deveria agir.

Aproximando-se da janela procurou a torre de tensão mais próxima  da plataforma. Respirou fundo e se jogou em direção a mesma. Um pulo foi suficiente para atingir o topo da mesma. Abraçou a estrutura , e percebeu que o que tinha abaixo de si se assemelhava um livro aberto em larga escala. Colocou-se de pé e então pode olhar nos olhos da criatura que agora havia parado de lutar contra o que restava da parte  superior da plataforma.

Uma imponente cauda alaranjada, com 9 penas de pelo menos 6 metros de comprimento, esplendidamente aveludadas e toda salpicada de sinais brancos. O corpo de um vermelho quase reluzente, terminando no ocre de suas asas e crista.

E aqueles olhos. Como eram cheios do mais pura essência selvagem! Bem ali fitando-o , parecendo entender tudo o que passava com ele, vendo o terror e o medo que agora habitavam seu coração. E como eram negros aqueles olhos.

Anúncios