Aloha, leitores. Como eu já disse no post de apresentação, quarta é dia de INTERNET. E hoje ainda é quarta no meu relógio biológico, pois não dormi. Sendo assim, vamos verificar o que eu coei das webs para o prazer dos senhores e senhoras.

Você sabe quem é Freddie Wong? Esse rapaz americano ficou famoso pelos seus vídeos curtos recheados de efeitos especiais e convidados famosos . Agora, ele produz e edita uma série online chamada Video Game High School. 

Imaginem se os video games evoluíssem a ponto de se tornarem não só um esporte, mas também uma fonte de estudos. Assim, surge um colégio especializado em preparar aqueles que serão os grandes astros dessa nova forma de entretenimento. Em vez de químicas, eles aprendem estratégias para jogos de tiro. Química? Melhor aprender como vencer uma corrida cheia de drifts no mundo virtual.

Ingressar nessa escola passa a ser o sonho de todos os garotos, incluindo o protagonista BrianD. Com um golpe de sorte, ele consegue ser convidado para ingressar. Agora ele tem que mostrar que não depende só da sorte para ser um dos melhores gamers do mundo.

A série conta com várias celebridades nerds americanas, como o cara do Epic Meal Time, e no segundo episódio somos apresentados a um universo desses de séries de colegial, mas de alguma maneira o elemento “gamer” que eles adicionaram conseguiu chamar a atenção até de pessoas que não gostam desse estilo de série (,como eu, que geralmente não gosto).

E se colocássemos um viking numa cozinha moderna, com aparatos modernos, receitas modernas e ingredientes modernos? Teríamos o Regular Ordinary Swedish Meal Time.

Temos um sueco maluco com muitas facas e técnicas avançadas de cozinha. Fica claro que os pratos apresentados no final foram todos feitos da maneira correta, e ele depois só faz tudo de novo da maneira escrota, mas é engraçadíssimo ver a maneira como ele trata seus ingredientes. Em um dos vídeos, ele derrete manteiga no grito. Em outro, ele quebra 4 vidros de ingredientes na parede. O que mais me surpreende é o fato de ele usar quatro ou cinco cozinhas diferentes nos vídeos. Quão insano são os amigos desse ser humano?

Uma das coisas mais engraçadas é o amor do maldito pela maionese, único ingrediente bem cuidados por ele.

Como último assunto, um serviço de alegria gratuito. Eu sou particularmente um grande fã de quadrinhos japoneses, conhecidos como mangá. Se você também gosta do estilo e entende um pouco de inglês, pode gostar do Mangareader. É a principal ferramenta de agregação de traduções de fãs nos Estados Unidos, e costuma ser atualizado diariamente. Isso significa que no dia seguinte em que o seu mangá favorito sair no Japão, ele estará traduzido no site. Conta ainda com o maior acervo de quadrinhos japoneses antigos que eu consegui encontrar na internet, então se o seu negócio é ler séries já finalizadas, tem o que aproveitar por lá também.

Bem pessoal, por hoje é só. Essa primeira edição foi carregada de coisas gringas, eu sei, mas prometo que daqui duas semanas, quando eu voltar, trago pra vocês que não compreendem muito bem o inglês ainda material tão bom quanto esse.

Anúncios